Sobre o uso do Passe Livre Universitário por pós-graduandos e pós-graduandas:

Sobre o uso do Passe Livre Universitário por pós-graduandos e pós-graduandas:

O site do RioCard especifica quem tem direito ao Passe Livre Universitário:
“Os estudantes universitários de cursos presenciais beneficiados pelos programas do Governo Federal de cotas ou Programa Universidade para Todos. Os universitários de cursos presenciais com renda familiar per capita de até 1 (um) salário mínimo. Estes alunos devem residir e estudar no Município do Rio de Janeiro”.
Fonte: https://www.cartaoriocard.com.br/rcc/gratuidade/passeLivre

Isso é baseado no Art. 11 do Decreto 38.280 de 29 de Janeiro de 2014:
“Art.11. Para atendimento ao disposto no art. 401, inciso II da Lei Orgânica e no art. 12 da Lei Municipal n° 3.167/00, os alunos da rede pública de ensino fundamental, ensino médio, Universitários benefciados pelos programas do Governo Federal de cotas ou Programa Universidade para Todos e alunos universitários com renda familiar per capta de até 01 (um) salário mínimo, receberão, a cada ano letivo, cartões eletrônicos contendo créditos de viagens de Bilhete Único” (texto retirado daqui).

Embora isso não seja especificado, na nossa interpretação, o texto contempla as pessoas que fazem pós-graduação. Entretanto, são muitos os relatos informais que chegam até a APG sobre pessoas que não conseguem o benefício, apesar da documentação correta, por estarem na pós-graduação. A Superest está em contato regular com a RioCard e se disponibilizou pra levar tais relatos. Para isso, é necessário que sejam coletadas reclamações formais em casos de negação do Passe Livre Universitário nos postos de atendimento, enviando email para pedro@superest.ufrj.br ou camilabaz@superest.ufrj.br, registrando o evento.

Quanto à exigência de que a data de término do curso constasse no documento comprovando matrícula, algo que estava afetando discentes tanto na graduação quanto na pós, a gestão da UFRJ se comprometeu a editar esse documento de forma que passe a incluir uma data de conclusão, evitando assim mais transtornos para estudantes.

[RELATORIA]: II PLENÁRIA DE ARTICULAÇÃO DAS PÓS-GRADUAÇÕES DO RIO DE JANEIRO

PLENÁRIA DE ARTICULAÇÃO DAS PÓS-GRADUAÇÕES DO RIO DE JANEIRO (IFCS) – 21/11/2016

Estrutura da plenária:

– Primeiro momento: informes.
– Segundo momento: falas de 5 minutos (tempo votado pela plenária)
– Terceiro momento: encaminhamentos.

1) Informes

(PPGSA – IFCS/UFRJ) Foi realizada uma reunião no seu programa: “reunimos poucos alunos e não foi possível tirar nenhum posicionamento, o programa é desmobilizado e não é possível articular professor e alunos. Os professores do departamento colocaram que não vão entrar em greve e sim, aderir às paralisações e apoiar as ocupações”. Propõe publicar uma ata/carta para ampliar a mobilização interna.

(PPGAV – EBA/UFRJ) Na semana os alunos de pós-graduação vão estar envolvidos com o seminário “Indisciplina; arte frente ao urgente”, evento acadêmico pensando o contexto político.
“Foi realizada uma assembleia na semana, mas em função do incêndio ocorrido no prédio onde a EBA se localiza temos outras demandas e a greve foi vista como esvaziamento. Propomos como solução integrar a agenda das ocupações e publicamos uma carta de apoio”.

(IPPUR/UFRJ) Não foi consenso entre os alunos uma paralisação das aulas e sim aderir às atividades das ocupações. Os professores colocaram-se compressivos em relação às ausências. Programação de atividades na página no facebook “Mobiliza IPPUR”.

(CPDA/RURAL) Página no facebook com informações das atividades: “Mobiliza CPDA”.
Em assembleia foi tirada a greve do CPDA. A ocupação da rural recebeu um mandato judicial de desocupação e os estudantes posicionaram-se em resistir.

(APG-UFRJ) Assembleia da APG deliberou a organização de pontos de coleta de doações para os terceirizados e para as ocupações. Haverá um debate sobre a PEC55 a ser realizado no CT e no CCS dia 24/11 e adesão ao dia de paralisação dia 25/11. Entidades representativas da UFRJ, Adufrj, Sintufrj e DCE Mário Prata, APG-UFRJ organizam e convocam discentes da pós-graduação para caravana para Brasília contra a PEC 55 (antiga 241). Saída prevista para dia 28/11 às 10 horas.

(PPGAS – Museu Nacional/UFRJ) Aderir às paralisações e fazer atividades e estruturas junto às ocupações dos graduandos em negociação com os professores da pós graduação. Dia 25, participar do evento ciência na praça da UFRJ.

(PPGS/UFF) Foi considerada não legitima a assembleia realizada pelos estudantes de pós-graduação de sociologia.

(Coordenadora da pós graduação de sociologia da UFF) Os professores da UFF se colocam contra a greve e a favor das ocupações, entendendo a vivência das ocupações como um procedimento aberto que não se sabe o que pode acontecer. No programa não está tendo aula. Sobre o indicativo de greve, o corpo docente não quer nem pautar a discussão em função do histórico de esvaziamento das greves.

(PPCUT – IACS/UFF) O IACS entra na terceira semana de ocupação dos estudantes da graduação. A pós aderiu à ocupação e propõe atividades – com assembleia marcada para dar uma posição efetiva sobre o andamento do semestre, onde não estão ocorrendo aulas.

(PPGCS/UFF) Contrapondo-se à coordenadora da Pós de Sociologia da UFF, procura colocar que no programa está tendo aula sim. Os professores e alunos estão desarticulados por não conseguirem um diálogo, gerando conflito e desentendimento sobre o andamento do semestre.

2) Informes sobre as comissões

– Comissão de mobilização: criou uma página no facebook: Mobiliza PÓS RJ.
– Comissão de materiais: Foi realizada uma reunião e seguimos na construção do acordado: criar uma cartilha e um panfleto sobre a PEC e ii) apresentando alternativas à PEC.
– Outro ponto que levantamos, é que seria bom reunir também os argumentos favoráveis à PEC que estão em circulação na grande mídia para contra-argumentação.
– Discutimos sobre os objetivos, o formato e o tipo de público que buscaríamos atingir com os panfletos e cartilha. Quanto aos panfletos, chegamos á conclusão de que já existem vários circulando e que valeria a pena fazer então um levantamento dos mesmos para não repetir o que já vem sendo dito. Se não tivermos nada a acrescentar, podemos simplesmente tentar distribuir os que já estão em circulação em vez de criar um novo material. Quanto a cartilha, achamos que o melhor é tentar produzir um texto de qualidade e relativamente aprofundado.
– Ficamos de estudar formas de apoio para a impressão dos materiais.

Fala da estudante presente na comissão da mobilização – “A ocupação está apresentando uma outra forma de fazer política e é preciso aproximar para vivenciar e compartilhar o processo.”

Principais tarefas da comissão de mobilização – uma é entrar em contato com todos os programas de pós graduação e o outro construção de atividades e debates.

3) Falas

(PPGSD/UFF) Foi feito um aulão, poucos aderiram às atividades nas ocupações em função de um evento que está acontecendo em Brasília.

(FIOCRUZ – APG) Foi realizada uma assembleia. Momento difícil de mobilização pela APG. “Estamos realizando uma semana de pós-graduação, e vamos discutir o impacto da PEC, especialmente no campo da saúde”.

(Programa de pós-graduação em artes visuais / UERJ) Pensar a especificidade do estado do rio de janeiro – o pacote de maldades, mudança de secretarias, existem urgências em função da falência do estado. Vai ser feita eleição para o DCE , vai ter assembleia do corpo dos docentes – greve e ocupação são táticas, onde uma não anula a outra, faz parte do conjunto de metas. Todos os três setores da UERJ fizeram greve esse ano.

(UERJ) – Uma vez que foi decretado o estado de calamidade, vc perde o direito de greve. Em quanto pós graduação, estamos amarrados sem possibilidade de paralisação.
É bolsista Faperj – ainda não receberam este mês. Situação de atrasos vem se esendendo desde o ano passado. No inicio desse ano calote de 5 meses e diversos atrasos. Hoje sem previsão de solução. Buscar um posicionamento digno da FAPERJ. Puxar dentro do debate das pos a questão das bolsas. Os bolsistas faperj estão se organizando novamente e recorrendo ao ministério público.

(CPDA/UFRRJ) A situação hoje observada no estado do Rio de Janeiro deve ser entendida como um laboratório do restante do país, tanto do ponto de vista da imposição de medidas de precarização como de repressão. O não pagamento dos servidores estaduais e calote das bolsas estaduais já é uma realidade desde o início desse ano. Está claro que este modelo atingirá o âmbito federal. É absolutamente urgente e fundamental que nos organizemos politicamente pois a ofensiva é violenta e encontra-se acelerada. O momento é de urgência. È preciso pensar em ações diretas, ao invés de focarmos em ações de aula pública, palestras. O trabalho de base deveria ter sido feito antes. Agora o foco deve ser nas ações diretas: caravana para Brasília; atos contra o governo do estado do RJ. É preciso fazer pressão nos centros de poder.
Na UFRRJ, os docentes e funcionários estão em greve, e os estudantes ocupando os campi tanto de Seropédica quanto de Nova Iguaçú (IM). Andes votou pela instauração de um comando nacional de greve no último fim de semana. Informe sobre o ATO na ALERJ.

(Bolsista FAPERJ) Apesar do bolsista da FAPERJ ser minoria no sistema de bolsas, não podemos abrir mão do fundo estadual.

(CPDA/UFRRJ) Esta Plenária está mais esvaziada, mas não devemos tomar este fato como algo pejorativo. Este é um espaço constituído por pós-graduandos e, portanto, legítimo. Estamos vivendo um processo onde temos vitórias e derrotas – o importante é continuar mobilizando. Sugere a realização de uma nota política do fórum contra a PEC 55. Sugere dois caminhos para o fortalecimento do espaço: interno, com atividades e assembleias das PGS e externo, dando visibilidade ao movimento na participação de atos, manifestações e na caravana para Brasília.

(APG-UFRJ) O projeto do Estado do Rio de Janeiro é um projeto de contra auditoria e de natureza genocida, com extensiva repressão policial: “para que o projeto de redução da verba da saúde e educação possa funcionar é fundamental investir em repressão”. Trata-se de um projeto da elite brasileira, que a ditadura militar adiantou e hoje dão continuidades de forma “pós-moderna” (judiciário e legislativo alinhados).
O método, a estratégia – ocupações como enfrentamento. O incômodo é que gera a mudança.

(PPGSA/ IFCS) Sugere criar grupo de 5 pessoas para vivenciar os processos das ocupações como aprendizado político.

(IESP/UERJ) A repressão aumenta e é preciso estar no ato em um outro nível de radicalização. Precisamos organizar a nossa violência, pois a violência se faz necessária em um estado violento, como estratégia de luta. Precisamos também cuidar dos nossos companheiros, principalmente quando estes são presos. Sugere que a nota de repúdio aborde não apenas a PEC55 mas também o “pacote das maldades” do governo do Estado do RJ e reforma do ensino médio (que nos atinge diretamente também em função dos cursos de licenciatura). Trata-se de uma ação orquestrada.

(Companheira não-institucionalizada) A pós-graduação nunca foi mobilizada. Segmento extremamente desorganizado. Ressalta que não é possível falarmos em nome das pós graduações pois muitos cursos não estão representados nesta plenária. Para além da falta de organização política, não temos práticas de auto-defesa e a violência não considera o privilégio intelectual. Precisamos pensar em táticas de ação direta, gastar a nossa massa cinzenta no enfrentamento direto – sugiro tirar comissão para pensar estratégias de enfrentamento direto.
Debate final sobre a questão da nossa segurança. Precisamos pensar esse tipo de questão nos próximos encontros para ir amadurecendo estratégias de proteção do coletivo em formação.

4) ENCAMINHAMENTOS

– Comissão de comunicação ficou de escrever uma NOTA do Fórum de pós-graduandos contra a PEC55, o pacote de maldades do governo do Estado do Rio, reforma do ensino médio e contras os ataques à pós-graduação (atraso da FAPERJ, cortes no Cnpq, etc.) e em apoio às ocupações e greves estudantis.
– Comissão de produção de materiais vai organizar uma oficina no dia 25/11 no evento “UFRJ na praça” às 14h, na Cinelânida, para a produção de uma faixa de identificação do movimento de pós-graduandos do RJ para sairmos pro ato nesse dia às 17 hs (trajeto: Candelária – ALERJ). Participação do movimento nos atos dos servidores do estado. Foi realizada vaquinha para levantamento de $ para a oficina (Valor arrecadado: R$ 110, 85)
As 3 comissões irão se reunir às 14h na Cinelândia – onde ocorrerá o “UFRJ na praça” – nessa sexta 25/11 dia nacional de paralisação, para organizar as suas respectivas atribuições (pensar estratégias de atuação nos atos, segurança, saída em bloco, mobilização da pós).

– Data da próxima plenária dia 05/12, às 17h, no Ifcs!

Relatoria Plenária Pós-Graduações do Rio contra a PEC55 (antiga 241)

PLENÁRIA DE ARTICULAÇÃO DAS PÓS-GRADUAÇÕES DO RIO DE JANEIRO (IFCS)

11/11/2016 – Dia de Paralisação Nacional Contra a PEC241 (55)

 

Fala de abertura

– O objetivo da plenária é retomar o processo de articulação e mobilização dos programas de pós-graduação do estado do Rio de Janeiro, iniciado no primeiro semestre a partir do pontapé do PPGAS/MN/UFRJ. Se neste primeiro esforço, realizado ainda antes da concretização do golpe, as assembleias reuniram, majoritariamente, estudantes de graduação e pós-graduação de cursos da área de ciências humanas, a ideia agora é se debruçar mais especificamente sobre as pautas particulares da pós no contexto de avanço do conservadorismo. É preciso pensar formas de mobilizar estudantes e professores de todas as áreas.

– Importância de assinar a lista de presença para que, ao final da plenária, a mesma possa ser entregue ao pessoal da ocupação que controla a portaria.

Estrutura da plenária

– Primeiro momento: informes.

– Segundo momento: falas de 3 minutos (tempo votado pela plenária)

– Terceiro momento: encaminhamentos.

Informes

– Presença da presidenta da ANPG; discussão sobre a bandeira da entidade poder estar ou não na mesa da plenária. Em defesa, a presidenta argumenta que a ANPG representa todos os programas de pós-graduação do País, e que a presença da bandeira não é uma tentativa de centralização da plenária. Diz estar como representante, para ouvir e dialogar com os estudantes e professores presentes. Votação: a favor da presença da bandeira (19), contra a presença da bandeira (28); abstenção (?). A bandeira da ANPG permanece.

– (APG Rural): importância da discussão coletiva; tentativa de construir uma APG autônoma, horizontal, com pautas construídas coletivamente; o programa de pós-graduação de Química está somando na ocupação da Rural; deflagração da greve dos professores da Rural; sobre a bandeira da ANPG – a discussão reflete o momento que estamos vivendo, e é importante horizontalizar as discussões, pensar o papel dos estudantes, da universidade; há consenso de que estamos todos contra os retrocessos – a PEC, a MP do Ensino Médio e a Lei da Mordaça atacam diretamente a educação pública de nível básico e superior; a lógica da pós projeta em nós isolamento e dificulta a mobilização e construção de espaços coletivos.

– (Pós em Artes Visuais EBA/UFRJ): no dia 07/11 a reitoria da UFRJ foi ocupada pela graduação; no dia 09/11, a pós em Artes Visuais se encontrou numa assembleia geral e foi votado o apoio e a integração à ocupação – está sendo redigida uma carta aberta a ser publicada na semana que vem oficializando esse apoio; criação de GTS; flexibilização das aulas da pós para que seja possível a integração nas atividades da ocupação; 50 anos da EBA – houve manifestação pró-ocupação e contra os retrocessos; ciclos de palestra – a ideia é que o evento não seja restrito às pesquisas; 4º Encontro dos Pesquisadores em Artes Visuais do RJ; proposta: palestras e mesas de debate com especialistas sobre as áreas das reformas (PEC, escola sem partido, etc).

– (IPPUR/UFRJ): criar comissão com docentes e discentes, em nível de mestrado e doutorado, para construir uma agenda de debates com especialistas sobre todos aspectos da conjuntura nacional (PEC, previdência, MP do ensino médio, etc); promover esses debates nas ocupações; agenda coletiva – juntar ideias que estão sendo construídas internamente, nos programas de pós-graduação, e unificar.

– (PEPI/UFRJ): 3 estudantes da UERJ presos – em caráter de urgência, redação de uma moção em apoio aos estudantes e de repúdio à criminalização da luta contra a PEC.

– (Ocupa IFCS): O IFCS está ocupado desde o dia 31/10; unidade e envolvimento da plenária da pós com a ocupação; uma das pautas da ocupação é o corte de bolsas, que também atinge as pós-graduações; convite para que possamos conversar e produzir conhecimento e material político sobre pautas como essa.

– (aluno da ENCE): 15/11 – grande reunião das ocupações em Brasília; mobilização em nível nacional para tirar pautas a serem operacionalizadas nos estados e ocupações – é importante mobilizar.

– (Psicologia/UFF): terceira semana de ocupação de alguns blocos da UFF, incluindo a reitoria em Gragoatá; duas assembleias da pós – deliberado o apoio às ocupações e, mais que isso, a incorporação do programa; todas as atividades da pós estão sendo realizadas fora de sala de aula, nos espaços ocupados; construção de GTs em conjunto com os alunos de graduação.

– (APG UFRJ): foi construída uma plataforma virtual para canalizar denúncias anônimas de assédio e todo tipo de constrangimento contra estudantes; campanha Não se Cale! – grupos de acolhimento a pessoas vítimas de assédio; rodas de conversa sobre cotas na pós-graduação – quem quiser fomentar este debate em seus programas pode procurar a APG.

– (PPGAS/MN/UFRJ): paralisação do PPGAS no semestre passado; a luta contra a PEC unifica, mas não podemos esquecer das pautas específicas da pós; criação de uma frente ampla dos programas de pós graduação.

– (ANPG): devolução de 1180 bolsas da Capes para as Pró-Reitorias, e não para os programas – as APGs das universidades precisam se informar sobre esta devolução e o repasse das bolsas para os programas prejudicados; PL sobre o reajuste das bolsas vai passar pela Comissão de Ciência e Tecnologia semana que vem; a ANPG está debatendo com a Capes sobre o acúmulo de bolsa e vínculo empregatício; Cotas e assédio – aprovação de portaria junto ao MEC que estabelece 180 dias para instituir medidas afirmativas nos programas de pós, mas é preciso pressão para que a portaria seja implementada; cartilha da ANPG sobre assédio; várias APGs estão participando das ocupações (UFOP, UFRGS, UFPA, etc); a ANPG vai entrar com uma medida preventiva para proteger os pós-graduandos quanto às ocupações e greves; 15/11 – Encontro Nacional de Ocupações em Brasília.

– (Geografia/UERJ/FFP São Gonçalo): situação da UERJ é lamentável para além dos efeitos do golpe; precarização com objetivo de privatização; de março a agosto a UERJ esteve em greve, e, portanto, os cursos de pós só começaram as aulas em setembro; o governo prometeu repasse de 20 milhoes para garantir o funcionamento da UERJ, mas esse dinheiro não foi depositado até hoje; os professores estão sem receber 60% do salário desde abril; ganhos da última greve foram cancelados pelo decreto de calamidade pública do estado do Rio de Janeiro; a faculdade de formação de professores, em São Gonçalo, tem orçamento anual geral de 120 mil reais; não há uma política justa de divisão do repasse por quantidade de alunos – 800 alunos no curso de formação de professores de são Gonçalo e 200 no curso do Maracanã; toda a estrutura da pós é bancada com dinheiro dos professores e dos projetos de pesquisa; apoio de todos à UERJ.

– (Serviço Social/UFRJ): articular frente ampla dos estudantes de pós; aula publica na quinta com Mauro Iasi; elaborar panfletos e cartilhas sobre as pautas.

– (Serviço social/UFF): as duas pós do Serviço Social se uniram – a coordenadora do curso publicou uma nota de apoio à ocupação da UFF, que está sendo feita com apoio dos pós- graduandos; há alunos se mobilizando para criticar a ocupação.

– (APG UERJ): estiveram na reunião com o governo; o sucateamento da UERJ é simbólico e é concreto; não estamos mais em um Estado democrático; nós que nos reivindicamos movimento social devemos nos unir, para não sucumbir – exercitar a tolerância e o respeito.

– (Psicologia/UFF): a pós assumiu a ocupação; suspensão das aulas e incorporação aos GTs da ocupação do ICHF; está em discussão a formação de um GT de saúde mental para acompanhar a rotina da ocupação; assembleias terça e quinta às 15h na UFF.

Fim dos informes – abertura de inscrições

– (CPDA/UFRRJ): A questão do estado do RJ é uma preocupação para os pós graduandos; já houve e há problemas com as bolsas e verbas para pesquisa, especialmente as da Faperj; precisamos pensar um espaço coletivo dos estudantes de pós; critica – esse ano já tentamos um processo de mobilização da pós que não conseguiu avançar na construção desse espaço; professores e técnicos têm sindicatos, têm a quem recorrer, mas nós não (a ANPG não tem uma estrutura jurídica e não da pra depender da Defensoria Pública) e os terceirizados tampouco – é uma situação de precarização; puxar uma paralisação oficial da pós-graduação.

– (CPDA/UFRRJ): professor do estado – não vê nenhum tipo de apoio real das universidades à educação básica.

– (CPDA/UFRRJ): o discurso da união é importante, mas ao mesmo tempo é importante abrir novos caminhos de ação; existe uma responsabilidade da esquerda no que está acontecendo hoje – novos caminhos de ação a partir dessa crítica; a representatividade é importante, mas não podemos deixar o trabalho pra meia dúzia de pessoas.

– (Física/UFF): propõe que o pessoal da UFF se reúna após a plenária; a CF 88 nunca foi cidadã, hoje isso está candente; está sofrendo processo da UFF; poposta: organização pra caravana do dia 29/11 – antes da votação da PEC, realizar um ato na Capes, porque são 7000 bolsas que podem ser cortadas em dezembro.

(IFCS): espírito de 2013; combatividade dos secundaristas de SP e virada do movimento estudantil; aulas públicas nas instituições ocupadas; exemplo dos estudantes de SP- fechar ruas, realizar aulas no semáforo – essa tem que ser nossa orientação.

– (APG-UFRJ): a UENF não veio porque está sem verba; discussão de método – método é política; perdemos o foco desde a última onda de mobilização; o pós graduando precisa se reconhecer como categoria; é preciso ir além dos infinitos debates de conjuntura – qual é o projeto político-pedagógico que nós defendemos?; cortes de verbas – previsão de 75%; o desmonte já vem de antes do golpe – silenciamento da produção de conhecimento; o pós graduando não tem direitos e garantias; nós e os terceirizados somos vulneráveis; dificuldade de mobilização da pós, na nossa condição de categoria híbrida.

– (Ocupa IFCS): Quem a PEC vai atingir? Pessoas pretas, pobres, pessoas que em maioria não estão na pós-graduação; luta pela cota na pós – é preciso debater a forma de se ensinar na pós, remodelar a forma de aprender e ensinar, valorizar a teoria dos nossos ancestrais – é preciso racializar todas as pautas.

– (ANPG): a ANPG só existe por causa das APGs; PEC 19/2016 propôs corte de 50% da Faperj, mas foi engavetada antes de ir à voto por causa da mobilização e pressão da ANPG; o Estado é obrigado a investir 22% na educação; a PEC não vem isolada – pacote de maldades; natureza discricionária da pasta de Ciência e Tecnologia; questão da dívida pública brasileira. Construir com as ocupações – campanha Doe uma Aula para uma Escola Ocupada; campanha Intelectuais Contra a PEC (vídeo de ate dois minutos podem ser enviados por email para a ANPG, que vai compilar o material e divulgá-lo para a imprensa); aprovar nos conselhos universitários moções contra a PEC.

– (PPGSA): contra quem estamos lutando? Que grupos estão por trás? Bradesco e Itaú, por exemplo; Cartilha para nos formarmos e formarmos; Panfletos – grande campanha contra a PEC; proposta: comissão para elaborar a cartilha e os panfletos; pressão sobre os senadores do Rio (Romario, Crivela, Lindbergh); mesma coisa em relação ao pacote do Pezão; ir em peso na caravana.

– (Serviço Social/UFRJ): qual o nosso papel para intervir nas lutas que estão colocadas na sociedade? Pouco contribuímos para interferir objetivamente. Quais são as táticas? Quais setores conseguimos atingir com as ocupações? Mais do que se propor a dar aulas, é chamar os ocupantes para construir coletivamente – ir para a sociedade discutir as ocupações; na quinta, 18h, na PV, haverá uma aula pública sobre a PEC – ideia de construção de cartilhas temáticas (pode ser o mote para a comissão); pesquisa-ação: qual o papel do intelectual na luta de classes? Gerar dados para discutir com a população a justeza das ocupações; sair do mundinho de privilegiados e nos reconhecermos como classe trabalhadora, pois seremos atingidos como tal.

– (CPDA): moção de apoio às ocupações é significativo, mas não suficiente; posição política precede todos os encaminhamentos: muitas universidades ocupadas, greves deflagradas – temos que discutir isso como posição política; a greve é um instrumento das categorias, e nós somos uma categoria. Indicativo de assembleia semana que vem nos programas para discutir a greve das pós; no dia 25/11, assembléia das pós-graduações com retorno do que tiver sido discutido internamente nos programas.

– (IESP): auditoria cidadã da dívida pública x sistema de institucionalização da corrupção; importante sublinhar o “contra”, mas apontar propostas (contra o pacote, pela…).

– (ENSP/Fiocruz): dificuldades de mobilização, até mesmo na ENSP; discussão sobre ciência e tecnologia, parcerias público privadas, etc.

– (Geografia/UERJ): apoio à educação básica; qual é o sentido de ser pós graduando? Nós temos a característica de não estarmos articulados com os grevistas; estamos a par de todo movimento, mas não estamos na vanguarda deste movimento; a pós tem que sair da universidade e dialogar com a sociedade. Comissão interdisciplinar para organizar aulas livres aos secundas nas escolas e ruas.

Vanessa: por caráter de urgência, a nossa próxima assembleia deve ser no dia 18 ou 21/11.

 

ENCAMINHAMENTOS

– A próxima assembleia das pós-graduações do estado do Rio de janeiro será no dia 21/11, às 17h, no IFCS (horário e local a serem confirmados pelo pessoal da comissão de comunicação).

– Indicativo de realização de assembleias semana que vem nos programas e universidades para discutir paralisação na pós-graduação. Trazer o que foi discutido para a plenária no dia 21/11.

– Formação de três comissões (uma pessoa de cada comissão ficou responsável por criar grupos de emails e whatsapp):

                – Comissão interdisciplinar para elaboração de material (cartilhas e panfletos);

                – Comissão de comunicação;

                – Comissão de mobilização

 

 

 

 

 

Informe da Comissão Eleitoral: Relação atualizada de membros da chapa inscrita no processo eleitoral

A Comissão Eleitoral APG-UFRJ para Gestão 2016/2017 informa:

Atendendo solicitação da Chapa 1 – APG em Movimento referente à inclusão de novos membros na chapa que não foram inscritos anteriormente, homologa os três novos membros, abaixo citados:

Otto Hebeda – Planejamento Energético – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Julia Bustamante Silva – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia

A comissão Eleitoral APG-UFRJ para Gestão 2016/2017, atualiza abaixo nominata homologada.
NOMINATA da CHAPA 1 – APG EM MOVIMENTO
> > CENTRO de CIÊNCIAS JURÍDICAS e ECONÔMICAS (CCJE)
Heloisa Melino – Direito – Coordenadoria de Ciência e Cultura
Ivan Kawahara – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Julia Bustamante Silva – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Leonardo Veiga – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio/Suplente na CPPD
Luciana Ximenes – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Luiza Borges – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria da Secretaria Geral/Titular na CPPD

> CENTRO de CIÊNCIAS da MATEMÁTICA e da NATUREZA (CCMN)
Antonio Leon – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Suplente no CEPG
Marcelo Côrtes – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Suplente no Consuni
Mariáh Martins – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Finanças/Titular no CEPG
Pedro Feio – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio/Suplente no CEPG

> CENTRO de CIÊNCIAS da SAÚDE (CCS)
Cristiane Caetano – Ecologia – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio
Kleber Neves – Ciências Morfológicas – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Titular no CEPG
Rafael Santiago Floriano – Cardiologia – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio
Raquel Albuquerque – Biofísica – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Ttular na CPA
Sama Juliani – Educação em Ciências e Saúde – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia

> CENTRO de FILOSOFIA e CIÊNCIAS HUMANAS (CFCH)
Luis Berner – Sociologia e Antropologia – Coordenadoria da Secretaria Geral/Titular no CEPG
Richarlls Martins – Políticas Públicas em Direitos Humanos – Coordenadoria de Finanças
Thais de Bakker Castro – Filosofia – Coordenadoria de Finanças
Victor Galdino – Filosofia – Coordenadoria Geral/Suplente na CPA

> CENTRO de LETRAS e ARTES (CLA)
Alice Pina – Urbanismo – Coordenadoria Geral/Titular no CONSUNI
Eliana Cunha – Letras Vernáculas – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
João Guilherme Siqueira Paiva – Ciência da Literatura – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
José Yo – Linguística Aplicada – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Rosemary Gonçalo – Letras Vernáculas – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia

> CENTRO de TECNOLOGIA (CT)
Marianne Zanon Zotin – Planejamento Energético – Suplente no CEPG/Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Otto Hebeda – Planejamento Energético – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia

Eleições Gestão 2016/2017 APG-UFRJ – 11 de Outubro

A Comissão Eleitoral APG-UFRJ convida a todos pós-graduandos da UFRJ a votarem para eleição da próxima gestão 2016/2017 da APG-UFRJ, no dia 11 de Outubro. Neste ano expandimos o número de urnas, organizando a votação por seções:

I – Centro de Ciência da Saúde – em frente à Biblioteca central do CCS, de 10h às 14h.
Preferencialmente para participantes de programas de Aperfeiçoamento, Residência e pós-graduandos do PPGBIOS e dos cursos de escolas, faculdades, institutos e núcleos ligados ao CCS, exceto da Escola de Enfermagem Anna Nery e IPUB.

II – Museu Nacional – prédio do Museu entrada de funcionários e alunos, de 10h às 14h.
Preferencialmente para pós-graduandos de programas do FCC / Museu Nacinal.

III – Faculdade de Letras – corredor principal, de 10h às 14h.
Preferencialmente para pós-graduandos dos cursos do CCMN, COPPEAD, CT e Faculdade de Letras.

IV – Faculdade Nacional de Direito – hall de entrada, de 15h às 18h.
Preferencialmente para pós-graduandos dos cursos da FND e da Escola de Enfermagem Anna Nery.

V – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais – piso térreo, de 15h às 18h.
Preferencialmente para pós-graduandos dos cursos da Escola de Música, Instituto de História,  IFCS e Observatório Nacional.

VI – Campus Praia Vermelha – entrada da Escola de Serviço Social, de 15h às 19h.
Preferencialmente para pós-graduandos da FAAC, Faculdade de Educação, ECO, Escola de Serviço Social, Instituto de Economia, Instituto de Psicologia, IPUB e NEI.

 Atenção, em virtude do incêndio e fechamento da Reitoria, com a possível transferência de aulas para distintos edifícios da UFRJ, os discentes dos cursos da EBA, FAU, IPPUR poderão votar na Letras, IFCS ou Escola de Serviço Social.


Salientamos que para votar é necesário apresentar documento com foto e informar o DRE.

Informe da Comissão Eleitoral: Relação atualizada de membros da chapa inscrita no processo eleitoral

A Comissão Eleitoral APG-UFRJ para Gestão 2016/2017 informa: atendendo solicitação da Chapa 1 – APG em Movimento referente à inclusão de novos membros na chapa que não foram inscritos anteriormente, homologa os três novos membros, abaixo citados:

Luciana Ximenes – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Ivan Kawahara – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
José Yo – Linguística Aplicada – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia

 

A comissão Eleitoral APG-UFRJ para Gestão 2016/2017, atualiza abaixo nominata homologada.

NOMINATA da CHAPA 1 – APG EM MOVIMENTO
> > CENTRO de CIÊNCIAS JURÍDICAS e ECONÔMICAS (CCJE)
Heloisa Melino – Direito – Coordenadoria de Ciência e Cultura
Ivan Kawahara – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Leonardo Veiga – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio/Suplente na CPPD
Luciana Ximenes – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Luiza Borges – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria da Secretaria Geral/Titular na CPPD

> CENTRO de CIÊNCIAS da MATEMÁTICA e da NATUREZA (CCMN)
Antonio Leon – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Suplente no CEPG
Marcelo Côrtes – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Suplente no Consuni
Mariáh Martins – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Finanças/Titular no CEPG
Pedro Feio – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio/Suplente no CEPG

> CENTRO de CIÊNCIAS da SAÚDE (CCS)
Cristiane Caetano – Ecologia – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio
Kleber Neves – Ciências Morfológicas – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Titular no CEPG
Rafael Santiago Floriano – Cardiologia – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio
Raquel Albuquerque – Biofísica – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Ttular na CPA
Sama Juliani – Educação em Ciências e Saúde – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia

> CENTRO de FILOSOFIA e CIÊNCIAS HUMANAS (CFCH)
Luis Berner – Sociologia e Antropologia – Coordenadoria da Secretaria Geral/Titular no CEPG
Richarlls Martins – Políticas Públicas em Direitos Humanos – Coordenadoria de Finanças
Thais de Bakker Castro – Filosofia – Coordenadoria de Finanças
Victor Galdino – Filosofia – Coordenadoria Geral/Suplente na CPA

> CENTRO de LETRAS e ARTES (CLA)
Alice Pina – Urbanismo – Coordenadoria Geral/Titular no CONSUNI
Eliana Cunha – Letras Vernáculas – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
João Guilherme Siqueira Paiva – Ciência da Literatura – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
José Yo – Linguística Aplicada – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Rosemary Gonçalo – Letras Vernáculas – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia

> CENTRO de TECNOLOGIA (CT)
Marianne Zanon Zotin – Planejamento Energético – Suplente no CEPG/Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia

Informe da Comissão Eleitoral: Homologação de chapas

Rio de Janeiro, 12 de setembro de 2016

A Comissão Eleitoral informa a única chapa inscrita nas Eleições da Diretoria da APG 2016-2017, agora homologada:

NOMINATA CHAPA 1 – APG EM MOVIMENTO
> CENTRO de CIÊNCIAS JURÍDICAS e ECONÔMICAS (CCJE)
Heloisa Melino – Direito – Coordenadoria de Ciência e Cultura
Leonardo Veiga – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio/Suplente na CPPD
Luiza Borges – Planejamento Urbano e Regional – Coordenadoria da Secretaria Geral/Titular na CPPD

> CENTRO de CIÊNCIAS da MATEMÁTICA e da NATUREZA (CCMN)
Antonio Leon – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Suplente no CEPG
Marcelo Côrtes – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Suplente no Consuni
Mariáh Martins – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Finanças/Titular no CEPG
Pedro Feio – História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio/Suplente no CEPG

> CENTRO de CIÊNCIAS da SAÚDE (CCS)
Cristiane Caetano – Ecologia – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio
Kleber Neves – Ciências Morfológicas – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Titular no CEPG
Rafael Santiago Floriano – Cardiologia – Coordenadoria de Comunicação e Intercâmbio
Raquel Albuquerque – Biofísica – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia/Ttular na CPA
Sama Juliani – Educação em Ciências e Saúde – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia

> CENTRO de FILOSOFIA e CIÊNCIAS HUMANAS (CFCH)
Luis Berner – Sociologia e Antropologia – Coordenadoria da Secretaria Geral/Titular no CEPG
Richarlls Martins – Políticas Públicas em Direitos Humanos – Coordenadoria de Finanças
Thais de Bakker Castro – Filosofia – Coordenadoria de Finanças
Victor Galdino – Filosofia – Coordenadoria Geral/Suplente na CPA

> CENTRO de LETRAS e ARTES (CLA)
Alice Pina – Urbanismo – Coordenadoria Geral/Titular no CONSUNI
Eliana Cunha – Letras Vernáculas – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
João Guilherme Siqueira Paiva – Ciência da Literatura – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia
Rosemary Gonçalo – Letras Vernáculas – Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia

> CENTRO de TECNOLOGIA (CT)
Marianne Zanon Zotin – Planejamento Energético – Suplente no CEPG/Coordenadoria de Cultura, Ciência e Tecnologia